Logo minerva.jpg

NESANE - Núcleo de Estudos em Saúde e Nutrição na Escola

Cadastro no CNPq: dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2422953551428446

Instituição de vínculo: Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus UFRJ-Macaé

Profas. Coordenadoras: Ana Eliza Port Lourenço, Luana Silva Monteiro, Naiara Sperandio e Priscila Vieira Pontes

Quem Somos

O NESANE é um núcleo de estudos da Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campos UFRJ Macaé, que desenvolve atividades de pesquisa, ensino e extensão sobre saúde e nutrição em escolas de Macaé e região. O grupo promove estudos e seminários, bem como realiza pesquisas e ações extensionistas em cinco linhas principais: diagnóstico nutricional da comunidade escolar e do ambiente alimentar; educação alimentar e nutricional e promoção da alimentação saudável; avaliação da alimentação escolar no âmbito do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar); promoção da saúde dos professores das escolas; e formação profissional em saúde e nutrição. Essas linhas se articulam, buscando contemplar as diversas dimensões da nutrição e da alimentação saudável no contexto escolar, o que contribui para o desenvolvimento local/regional. 

Por que criamos este núcleo de estudos?

A concretização prática do tripé universitário é um desafio, em especial num contexto de expansão e interiorização como o do Campus UFRJ-Macaé. A construção de núcleos de estudos consiste em um caminho para favorecer a integração ensino-pesquisa-extensão, pois pode propiciar apoio mútuo entre projetos, docentes e discentes, tanto em termos logísticos, quanto no sentido de uso comum de dados e de realização conjunta de ações.

Nossos Ideais

  • Defendemos a ensino superior público e de qualidade.

  • Acreditamos que o ensino e a pesquisa devem caminhar juntos com as ações de extensão universitária, de maneira a gerar conhecimento e formar profissionais e cidadãos, capazes de contribuir para o desenvolvimento da sociedade, que é financiadora das instituições públicas.

  • Entendemos a nutrição e a alimentação saudável para além da preocupação biológica com nutrientes, incluindo principalmente aspectos políticos, sociais e culturais, relacionados ao que comemos, quando e como comemos, e ao porque das escolhas alimentares que fazemos. 

  • Acreditamos que a educação em saúde deve acontecer de maneira dialógica, não verticalizada, com foco na troca entre os saberes populares e acadêmicos.

  • Vemos a escola, seja na educação infantil ou nos ensinos fundamental, médio e superior, como um local especial para promoção de saúde e construção de hábitos para a vida, incluindo os alimentares.